• Professor Boro

Educação Financeira: cuidado!


Um dos maiores problemas encontrados na administração financeira pessoal é o controle dos gastos futuros.

Para um ano que deve iniciar com turbulência no Mercado Financeiro e dar sinais de melhoria apenas no mês de março, a recomendação é o cuidado.

Cuidado nunca é demais, principalmente em se tratando de dinheiro.

A euforia do recebimento do 13º salário visto nos anos anteriores já não é o mesmo em 2008, pois boa parte dele serviu para cobrir dívidas.

Ainda assim, com o Natal, muitas pessoas buscam crédito no mercado. Aconselho repensar sobre esta decisão já que a crise do mercado obriga as empresas a serem mais cautelosas, e para tanto, as taxas de juros em geral ficam mais altas. O resultado disso é que a sua conta parcelada ficará cara o suficiente para repensar sobre a real necessidade da compra ou para lhe causar transtornos futuros no momento da quitação das parcelas.

Não é um bom momento para fazer dívidas, em qualquer instante as dificuldades financeiras poderão bater à sua porta. É hora de reflexão e replanejamento, tempo de lembrar que em breve os impostos da casa e do carro precisarão ser pagos, algumas de nossas despesas fixas poderão sofrer reajustes e imprevistos como a manutenção dos bens são infortúnios do destino.

Não deixarei passar a oportunidade de contar a história da vaca no precipício.

Um sábio constatou a pobreza de uma determinada vila, aproximou-se de um morador e questionou seu modo de viver e obteve como resposta que tinham uma vaca que produzia leite suficiente para o seu sustento e fabricação de seus derivados, podendo trocar as sobras por pouca comida e vestimentas, mesmo que modestas.

Na calada da noite, mesmo sabendo que a vaca era a única fonte de sustento da vila, a jogou do precipício.

Anos depois, retornando ao mesmo local, se deparou com uma cidade rica e impressionado com a beleza do local buscou saber o motivo de tanta mudança.

Um idoso trouxe a resposta: uma vaca, que era o nosso único sustento, caiu no precipício e morreu. Tivemos que fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos, foi duro, mas foi assim que alcançamos o sucesso que os seus olhos vislumbram agora.

Há males que vem para o bem. A crise financeira nos obriga a reavaliar as nossas prioridades e buscarmos maior arrojo na administração do dinheiro.

O momento é de cuidado, não de retração. É tempo de avaliar melhor os custos, despesas e claro, os investimentos também.

A vaca está no precipício, cabe a você decidir o que vai fazer.


Posts recentes

Ver tudo

Vendendo o arroz para comprar feijão

A inflação é um fantasma que já nos assombrou em um passado não muito distante - e que está dando sinais de voltar a nos assustar O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador d