Buscar
  • Eli Borochovicius

Como investir no longo prazo ​​


O investimento em longo prazo não carece de tanta atenção quanto à demandada aos especuladores de mercado, que visam pequenos ganhos em operações de larga escala. Mas isso não significa que não existam algumas regras importantes a seguir para que o sucesso seja alcançado. Entendo longo prazo como um período mínimo de amadurecimento do capital investido. É pouco provável que, sendo sócio de uma empresa, qualquer investidor tenha seu retorno garantido em um prazo inferior a quatro anos. Ao planejar as finanças é importante que o investidor concentre seus investimentos de curto prazo em Renda Fixa e deixe para o mercado de ações as quantias que servirão para a realização dos grandes sonhos.

Imaginar que o investimento de longo prazo está inerte a riscos é o primeiro erro comum do investidor que busca conforto no mercado de ações. Todo investimento possui um grau de risco e o investidor precisa, inicialmente, aceitar possíveis perdas e se cercar de estratégias que minimizem as probabilidades de grandes prejuízos. O Instituto Nacional de Investidores - INI possui cinco princípios que auxiliam o investidor de longo prazo: 1) Investir regularmente: este princípio é válido para os investidores que acreditam no crescimento das empresas no longo prazo. Investir sempre e com regularidade reduz o efeito das oscilações de preço dos papéis negociados. 2) Reinvestir todos os lucros e dividendos: se seu dinheiro está rendendo juros, evite gastá-los em busca de desejos e reaplique, desta forma ele crescerá de forma exponencial. 3) Investir em empresas com grande crescimento: o mandamento adotado pelo INI dá um pouquinho de trabalho, pois é importante observar o lucro líquido apurado pelas empresas em seus balanços patrimoniais e compará-lo com o PIB. O ideal é investir nas empresas cujos lucros sejam superiores ao PIB. 4) Diversificar ativos: este preceito visa, a longo prazo, reduzir o impacto das ações com desvalorizações acentuadas em momentos isolados, protegendo a saúde financeira de sua carteira. Obviamente, você só vai diversificar o risco no momento em que tiver valor suficiente para isso. 5) Exigir boa governança corporativa: governança corporativa é sinônimo de transparência das informações financeiras e da gestão. Empresas dentro do "Novo Mercado" distribuem apenas ações ordinárias (ON) com tag along de 100%, isso significa que os acionistas minoritários estão melhor protegidos das decisões dos controladores. Para investir, é necessário poupar e isto significa que aquela cervejinha a mais no final de semana, o docinho adicional do jantar, aquela compra do shopping center, que podem ser consideradas coisas supérfluas, poderiam servir para o aumento do patrimônio financeiro. É importante salientar que estamos tratando somente do exagero e que os passeios familiares e a diversão devem acontecer. O dinheiro serve em especial para nos trazer conforto diário, sem desperdício. A sobra dele deve servir para aplicações financeiras que garantam o mesmo conforto nos momentos de dificuldade, intempéries da vida e na aposentadoria.


1 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Finanças e Crianças: tudo a ver

Muitas crianças passaram a se interessar pelo universo financeiro - mas será que estamos caminhando com a educação da forma mais adequada? As crianças recordarão do ano de 2020 pelas mais variadas mud

PUC Campinas - Campus 1 | Rua Professor Dr. Euryclides de Jesus Zerbini, 1516  -  Parque Rural Fazenda Santa Cândida | Campinas - SP | CEP: 13087-571

  • Facebook
  • LinkedIn
  • Twitter
  • YouTube