Buscar
  • Professor Boro

Nova tabela do INSS começa a valer; entenda como funciona

Os trabalhadores da iniciativa privada terão, já no mês de março, o desconto do INSS sendo realizado com a nova tabela de contribuição.


Com a reforma da previdência aprovada, o novo sistema de desconto do INSS começa a valer nesse mês.


Anteriormente os trabalhadores da iniciativa privada eram descontados em três diferentes faixas, com taxas de 8%, 9% ou 11%. Para o ano de 2020, se o salário fosse até R$1.830,29 a alíquota era 8%, para salários acima disso e até R$ 3.050,52, descontava-se 9% e acima desse valor, 11% limitado ao desconto de R$671,12.


A nova tabela de contribuição permitirá que todos os trabalhadores sejam descontados em 7,5% do valor do seu salário, até R$1.045,00, que corresponde à 1ª faixa.


Para quem recebe até R$2.089,60, e está na 2ª faixa, terá descontado R$78,38, correspondente a 7,5% sobre R$1.045,00 e mais 9% sobre o que passar desse valor.


A 3ª faixa é composta por salários até R$3.134,40. Nesse caso, sofrerá desconto de R$78,38, referente à 1ª faixa, R$94,01 correspondente a 9% da diferença entre os valores da 2ª e 1ª faixa e mais 12% sobre o valor que ultrapassar R$2.089,60.


Os salários da 4ª faixa são superiores a R$3.134,40 e terá descontado o valor de R$78,38 da 1ª faixa, R$94,01 da 2ª faixa, R$125,38 que corresponde à diferença entre os valores da 3ª e 2ª faixa e mais 14% sobre o valor que ultrapassar os R$3.134,40, limitado a R$415,33.


Para quem ganha R$6.000,00, anteriormente tinha R$660,00 descontados do salário, que correspondia a 11% sobre o salário bruto. Com as novas regras, pagará R$78,38 da 1ª faixa, R$94,01 da 2ª faixa, R$125,38 da 3ª faixa e mais R$401,18 correspondente a 14% sobre a diferença do salário de R$6.000,00 e R$3.140,40 da 4ª faixa, totalizando um desconto de R$698,95.


O resultado é um acréscimo de R$38,95 por mês, ou ainda 5,90%. Para quem recebe salários até R$1.801,20, no entanto, terá um valor descontado menor pela nova tabela. Para os salários entre R$1.830,40, que passava a pagar a alíquota de 9% e R$2.612,00, idem. O mesmo ocorre para salários entre R$3.050,53, que entrava na alíquota de 11% e R$4.701,70.


Esse novo sistema de cálculo escalonado é, dadas as devidas proporções, semelhante à cobrança da Tabela Progressiva do Imposto de Renda, mas parece mais simples e mais justo.


Para o Imposto de Renda, o contribuinte paga uma taxa sobre o total da receita, com incidência da taxa maior para o total dos vencimentos. A diferença é que salários até R$1.903,98 são isentos de pagamento e a partir desse valor, para evitar que uma faixa posterior pague mais imposto que a faixa anterior utiliza-se uma parcela a deduzir.


Uma pessoa que tenha um salário de R$3.751,06, paga uma alíquota de 22,5% e deduz R$636,13, totalizando um imposto de R$207,86. Para quem ganha um centavo a menos (R$3.751,06), paga 15%, mas deduz R$354,80, totalizando os mesmos R$207,86.


De forma geral, o novo sistema parece bem razoável, mas as alíquotas e os valores de cada faixa possivelmente sofrerão ajustes nos próximos anos para que haja um melhor equilíbrio.


Vale observar o desconto que ocorrerá nesse mês e efetuar o cálculo, afinal de contas, sistemas podem trazer inconsistências.


11 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Pagamento invisível

Boa experiência de compra pode ser um aliado da inadimplência na falta de Educação Financeira. Pagamento Invisível foi o nome atribuído aos sistemas de pagamento em que o consumidor não precisa utiliz

PUC Campinas - Campus 1 | Rua Professor Dr. Euryclides de Jesus Zerbini, 1516  -  Parque Rural Fazenda Santa Cândida | Campinas - SP | CEP: 13087-571  | boro@boro.com.br